ÓRGÃO ESTADUAL

Delegado-Geral concede entrevista sobre nova Diretoria Estadual de Combate à Corrupção

A Diretoria Estadual de Combate à Corrupção (Decor) foi instituída por decreto governamental assinado pelo governador Helder Barbalho e publicado na edição do último dia 7, no DOE

13/05/2019 09h38 | Atualizada em 13/05/2019 10h49

Delegado-Geral concede entrevista sobre nova Diretoria Estadual de Combate à Corrupção

Reprodução/Internet

PUBLICIDADE

O delegado-geral da Polícia Civil, Alberto Henrique Teixeira de Barros, concedeu, nesta sexta-feira (10), entrevista ao Programa Conexão Cultura, da Rádio Cultura 93,7 FM. Entrevistado pelo jornalista Adil Bahia, apresentador do programa, o chefe da Polícia Civil paraense falou sobre a criação da nova Diretoria Operacional da Polícia Civil que vai atuar diretamente no enfrentamento à todas as formas de corrupção no âmbito da administração pública no Estado.

A Diretoria Estadual de Combate à Corrupção (Decor) foi instituída por decreto governamental assinado pelo governador Helder Barbalho e publicado na edição do último dia 7, no Diário Oficial do Estado (DOE). 

A nova Diretoria atende a uma resolução do Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil (CONCPC), entidade que congrega os titulares das Polícias Civis de todos os estados brasileiros e do Distrito Federal, e atende ainda a uma determinação do ministro da Justiça, Sérgio Moro. A Polícia Civil do Pará é pioneira em criar uma Unidade Operacional responsável em atuar, especificamente, no combate aos crimes de corrupção no país. "Com a nova Diretoria, o combate ao crime organizado vai ficar mais amplo", destacou.

A Decor será dirigida por um delegado da ativa, estável no cargo, sob subordinação direta ao delegado-geral. Ela vai atuar em todo território paraense, onde vai apurar crimes relacionados à “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores resultantes de atos de corrupção, além de investigar crimes contra a ordem tributária na administração pública do Estado. Vai investigar, ainda, fraudes e atos de corrupção nos casos que resultem em danos ao erário e à moralidade administrativa.

A nova unidade policial vai contar, em sua estrutura, com três departamentos específicos, além de uma secretaria: a Divisão de Repressão à Lavagem de Dinheiro (DRLD), que será responsável, entre outras atribuições, por apurar crimes de "lavagem" ou ocultação de bens, direitos e valores; a Divisão de Repressão a Crimes Contra a Ordem Tributária (DOT), que vai investigar crimes praticados contra a ordem tributária no âmbito da administração pública do Estado; e a Divisão de Repressão à Corrupção e ao Desvio de Recursos Públicos (DECORD), que tem a atribuição de investigar fraudes e atos de corrupção praticados na administração pública, cujas consequências resultem em dano ao erário e à moralidade administrativa, em especial nos crimes previstos na Lei da Improbidade e na Lei de Licitações.

FONTE: Polícia Civil PA

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE