CONVÊNIO

Projeto oportuniza 1º emprego em Marabá; judiciário, Senac e empresas unem forças em favor dos jovens

A prática é executada nas secretarias das varas e setores administrativos do Fórum de Marabá, três vezes na semana, por quatro horas, sendo rodiziados de local a cada três meses

08/09/2019 11h36 | Atualizada em 08/09/2019 11h49

Projeto oportuniza 1º emprego em Marabá; judiciário, Senac e empresas unem forças em favor dos jovens

Divulgação/TJPA

PUBLICIDADE

Um convênio firmado entre o Judiciário estadual, o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC) e as sociedades empresariais Invictus Segurança e Posto de Gasolina Montana, possibilitaram o acesso de 14 adolescentes ao primeiro emprego, no projeto Jovem Aprendiz, executado na Comarca de Marabá. Os adolescentes são contratados pelo SENAC e pelas empresas, mas, conforme o projeto, exercem as atividades práticas no Fórum.

De acordo com o juiz Alexandre Hiroshi Arakaki, os jovens recebem, no SENAC, treinamento técnico e teórico das atividades desenvolvidas. O treinamento é dividido em módulos, com pequenos cursos que ajudam a desenvolver suas habilidades no atendimento ao público, manutenção do sigilo, manuseio e arquivamento de documentos, empatia (colocar-se no lugar dos jurisdicionados) e ainda, disciplina, assiduidade, pontualidade, como pressupostos do sucesso profissional e pessoal.

A prática é executada nas secretarias das varas e setores administrativos do Fórum de Marabá, três vezes na semana, por quatro horas, sendo rodiziados de local a cada três meses. “As sociedades empresariais arcaram com a bolsa, vale transporte e encargos sociais e os jovens são escolhidos em listas da secretaria municipal de assistência social, considerados em situação de vulnerabilidade social. Os benefícios são inúmeros. Para as sociedades empresariais cumprir a cota legal de jovens-aprendizes, para o SENAC executar sua atividade finalística, e para o fórum se valer de uma colaboração jovial e prestativa”, explicou o magistrado.

No entanto, o juiz considera que os maiores beneficiados são os jovens, sendo-lhes proporcionado uma nova visão profissional, ajudando-o a definir a futura carreira, capacitando-os para a inserção no mercado de trabalho. 

Eduardo Simplício Lopes, 20 anos, atendido pelo projeto, afirmou que a oportunidade “está sendo uma experiência brilhante tanto para mim, como para todos os colegas. Estou aqui representando todos os jovens-aprendizes da Comarca de Marabá e quero dizer que estou muito satisfeito em trabalhar no fórum. Quero agradecer a todas as empresas que abraçaram essa causa. Só tenho que agradecer e torcer que outros jovens possam ter a mesma oportunidade”.

FONTE: TJPA

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE