MODALIDADE 'VAPOR'

Já estão presos quatro suspeitos de assalto a banco em Jacundá

Durante as investigações, os suspeitos do assalto foram identificados. Segundo o delegado, as prisões preventivas dos suspeitos e mandados de busca e apreensão foram solicitados à Justiça

04/11/2019 08h46 | Atualizada em 04/11/2019 09h47

Já estão presos quatro suspeitos de assalto a banco em Jacundá

Reprodução/Polícia Civil

PUBLICIDADE

Quatro suspeitos de participação no assalto a banco, na modalidade "vapor", ocorrido em 22 de outubro em Jacundá, município do sudeste do Pará, já estão presos. Três acusados - José Iran dos Santos Lucena, conhecido como “Zé Iran”; Júlio César Gonçalves de Carvalho e Leonardo Barbosa de Oliveira, de apelido “Lalau” - foram capturados por policiais civis no sábado (2), em Marabá, na mesma região. Outro suspeito - Dimbagad Dias Guimarães, chamado de “Dimba” - foi preso no último dia 28 de outubro, em Bom Jesus do Tocantins, também no sudeste paraense. Com “Dimba” a polícia encontrou armas, munições e uma roupa camuflada. Todo esse material foi apreendido.

As prisões resultaram de investigações realizadas pela equipe da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos a Bancos e Antissequestro (DRRBA), vinculada à Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO). Logo após o crime, a equipe policial se deslocou até a região de Jacundá e iniciou as investigações, fazendo buscas em conjunto com policiais do Núcleo de Apoio à Investigação (NAI) de Marabá, e apoio de policiais militares da Companhia de Operações Especiais (COE).

Durante as investigações, os suspeitos do assalto foram identificados. Segundo o delegado Fausto Bulcão, titular da DRRBA, as prisões preventivas dos suspeitos e mandados de busca e apreensão foram solicitados à Justiça. Após a prisão de “Dimba”, as investigações prosseguiram para localizar os outros envolvidos. No sábado, por volta de 6 h, outros três investigados foram presos.

José Iran foi preso em casa, enquanto Júlio César e Leonardo Oliveira tiveram os mandados cumpridos na prisão. Com José Iran foram apreendidos aparelhos eletrônicos e celulares. A Polícia Civil prossegue as investigações para localizar e prender os demais suspeitos do crime. Todos permanecem presos em Marabá à disposição da Justiça.

FONTE: Agência Pará

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE