TUCURUÍ

Polícia Civil cumpre mandados de prisões, buscas e apreensões

A operação “Óleo de Peroba” tem como objetivo a apuração de vários crimes supostamente praticados por agentes da Companhia de Trânsito e Transporte Urbano de Tucuruí

08/11/2019 07h13 | Atualizada em 09/11/2019 08h19

Polícia Civil cumpre mandados de prisões, buscas e apreensões

Reprodução/Polícia Civil

PUBLICIDADE

A Polícia Civil do Pará deflagrou, nesta quarta (06), a “Operação Óleo de Peroba”, para cumprir 02 mandados de prisões preventivas e 04 de buscas e apreensões. As investigações policiais tiveram início com as apurações relativas a um acidente de trânsito que causou lesões corporais graves em duas jovens que transitavam em uma motocicleta, fato ocorrido na noite do dia 29 de setembro de 2019. No decorrer das investigações foi identificado o veículo que causou o acidente, sendo ele uma caminhoneta. A operação foi deflagrada na Cidade de Tucuruí, sudeste paraense. A operação “Óleo de Peroba” tem como objetivo a apuração de vários crimes supostamente praticados por agentes da Companhia de Trânsito e Transporte Urbano de Tucuruí (CTTUC).

Os mandados de prisões e buscas e apreensões foram expedidos pelo Juízo da Vara Criminal de Tucuruí, após o parecer do Ministério Público local. A ação foi coordenada pela Diretoria de Polícia do Interior (DPI) e executada pela equipe da Delegacia de Conflitos Agrários de Marabá (DECA/MBA), e contou com o apoio de policiais civis da Superintendência Regional do Lago de Tucuruí, da 15ª Seccional Urbana de Polícia Civil e da Divisão Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM). 

Segundo a equipe, o veículo foi apreendido pela Polícia Civil, no dia seguinte ao do acidente, a caminhonete estava escondida na residência de um agente de trânsito da CTTUC, sendo consertada por um lanterneiro, para encobrir os danos causados pelo acidente. Analisando a procedência do veículo, a Polícia Civil identificou como sendo uma caminhonete que havia sido apreendida pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), em situação ilegal, apresentada na 15ª Seccional Urbana de Polícia Civil e encaminhada para custódia no pátio da CTTUC. 

No dia seguinte ao da apreensão da Caminhonete, um agente de trânsito da CTTUC se apresentou na Delegacia alegando ter sido ele o condutor do veículo que lesionou gravemente as duas jovens. Aprofundando as investigações, a Polícia Civil descobriu que esse Agente de Trânsito tinha mentido para acobertar o verdadeiro motorista da Caminhoneta, que teria sido o Diretor Superintendente da Companhia de Trânsito e Transporte de Tucuruí.

O motorista da caminhonete não possuía Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e estava fazendo uso do veículo para fins pessoais desde o dia 28 de setembro de 2019. As datas coincidiram com a eleição do Conselho Tutelar de Tucuruí, cujo filho do Diretor Superintendente da Companhia de Trânsito e Transporte de Tucuruí era um dos candidatos.

Nas buscas um vasto material de campanha para o Conselho Tutelar de Tucuruí foi apreendido no gabinete do Diretor Superintendente da Companhia de Trânsito e Transporte de Tucuruí. Os crimes sob investigação são os de lesão corporal culposa, peculato, falso testemunho, fraude processual e associação criminosa.

FONTE: Polícia Civil PA

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE