'RESGATE MARAJÓ'

Vinte abusadores sexuais que atuavam no Marajó são presos

Deflagrada pela Polícia Civil do Pará, a operação é considerada a maior operação da história do Estado do Pará em relação a casos de abuso e exploração sexual, na região da Ilha do Marajó

08/08/2019 13h08 | Atualizada em 12/08/2019 09h37

Vinte abusadores sexuais que atuavam no Marajó são presos

Reprodução/Polícia Civil

PUBLICIDADE

A operação "Resgate Marajó", deflagrada na última segunda-feira (05), teve como resultado final a prisão de 20 pessoas envolvidas em casos de abusos sexuais contra crianças e adolescentes no Marajó. De acordo com a Polícia Civil, que apresenta mais detalhes da operação nesta quinta-feira (08), em coletiva de imprensa na Delegacia Geral, todos os acusados estão sendo transferidos para Belém e serão apresentados na coletiva.

Deflagrada pela Polícia Civil do Pará, por meio da Diretoria de Polícia do Interior, a operação é considerada a maior operação da história do Estado do Pará em relação a casos de abuso e exploração sexual, na região da Ilha do Marajó.

Após investigações, policiais civis de todas as Delegacias do Marajó Oriental, especialmente, a Delegacia de Muaná e a Delegacia de Atendimento à Criança e o Adolescente de Soure, realizaram o planejamento estratégico para dar cumprimento a mais de 20 mandados de prisão preventiva de investigados por cometer atos de abuso e exploração sexual no Arquipélago do Marajó. Do total de prisões, a maioria (11) foi realizada em Muaná. A maioria dos abusos foi cometida em ambiente familiar.

FONTE: O Liberal

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE